O que é OLED?

Veja as diferenças entre a tecnologia OLED e AMOLED

 

OLED

Os dispositivos orgânicos emissores de luz (OLEDs, do inglês Organic Light-Emitting Devices) apresentam as características desejáveis para um dispositivo moderno: alta luminância, maior eficiência na conversão de energia elétrica em luz e cores vibrantes.
Para a fabricação de OLEDs, podem ser utilizados tanto materiais poliméricos como compostos de baixo peso molecular. Este tipo de dispositivo é formado por dois eletrodos: um cátodo e um ânodo. Ao se aplicar tensão entre os eletrodos, os buracos são injetados pelo ânodo e os elétrons pelo cátodo. A arquitetura comumente escolhida possui três camadas orgânicas (tricamada), sendo uma camada transportadora de elétrons e uma transportadora de buracos, além da camada emissora. As camadas depositadas possuem espessura nanométrica, e por isso pode-se dizer que os dispositivos fabricados são produtos da nanotecnologia.

oled_led_amoled

Durante o funcionamento do dispositivo, os buracos e os elétrons precisam ser transportados desde os eletrodos até a camada eletroluminescente. No caso dos buracos, este transporte ocorre através do HOMO (orbitais moleculares ocupados de maior energia, do inglês Highest Occupied Molecular Orbital). Já os elétrons são transportados através do LUMO (orbitais moleculares desocupados de menor energia, do inglês Lowest Unoccupied Molecular Orbital). Dentro da camada eletroluminescente ocorre a recombinação de cargas, que é o encontro dos buracos e elétrons. Nesta região ocorre a formação de éxcitons. O éxciton é um estado ligado elétron-buraco que transporta energia, mas não possui carga, e por isso é chamado de quase-partícula neutra.

A energia proveniente dos éxcitons pode ser transferida para os estados excitados singleto ou tripleto do material eletroluminescente. A emissão ocorre através do decaimento destes estados excitados para estados de menor energia, normalmente o fundamental.

oled

AMOLED

A diferença nas telas AMOLED é uma película fina de transistores (TFT - Thin-film transistor), sobreposta ao ânodo.

A TFT estabelece o comportamento dos pixels para formar imagens sem a necesssidade de controladores externos, economizando energia.

 

fontes:

http://www.fis.puc-rio.br/loem/pesquisas.php?ID_TOPICO=1

http://pt.wikipedia.org/wiki/Thin-film_transistor

 

Voltar